Blog

Voltar

De vendedora de biscoitos a empresária de sucesso; faturo milhões


Comecei minha vida de empreendedora fazendo biscoitos que eu mesma vendia de porta em porta pelo bairro. Moro em Taubaté (SP) desde que me conheço por gente. Sou casada e meu marido era funcionário público. Fiquei 10 anos na luta com os biscoitos para pagar minhas dívidas e viver tranquila, até que optei por investir em um carrinho de lanches. Vendi hambúrgueres para juntar mais dinheiro e poder ter o meu espaço dentro de uma rodoviária onde passei a vender doces e salgados. Ganhei uma graninha e parti pra algo um pouco maior: uma pizzaria. No começo, tudo lindo. Aluguei um lugar, fiz pizzas para entrega ou para serem saboreadas no local. Em algumas noites cheguei a faturar R$ 5 mil. Fiquei deslumbrada com tanto dinheiro na conta! E como diz o ditado, dinheiro na mão é vendaval: gastei tudo loucamente. Aí que a coisa foi apertando. As contas começaram a me sufocar: era aluguel, mercado, luz, água, pagamento de funcionários... Não estava sendo fácil. Adivinha o que aconteceu com a empresa? Faliu. Perdi tudo em pouquíssimo tempo. Não fiquei devendo para os funcionários, mas as minhas dívidas viraram uma bola de neve que me engoliram numa tacada só.

Depois desse tombo fui morar na beira de um rio. Aluguei a casinha do caseiro em uma espécie de fazenda. Pedi ajuda ao papai que já sabia do meu espírito empreendedor e logo me comprou uns tomates. Eu, que não sou boba nem nada, já sabia o que fazer pra ganhar dinheiro: vender tomate seco. Pensei nisso porque na casinha que estava naquele momento tinha um forno à lenha. Colocava os tomates no papel alumínio, assava e ia vender na cidade. Juntei uma graninha assim, mas não queria ficar a vida toda trabalhando com tomates secos. Me mudei para Roseira e comecei a investir em pirulitos. Mais uma vez comecei o processo do zero, aprendendo a fazer as delícias. Com a técnica domada, saí para vender os doces nos armazéns da cidade. Foi numa dessas que uma moça me contou sobre um curso de estética na prefeitura de Roseira. Me interessei por se tratar de algo grátis! Consegui uma vaga que mudaria pra sempre o rumo dos meus negócios.

Fui trabalhar na praia

Estava há apenas três semanas no curso quando atendi a primeira cliente. Fiz uma massagem nela. Ela gostou tanto que pediu para eu repetir por três vezes. Ela morava perto de casa e eu não tinha um espaço decente ainda, então fiz os procedimentos em cima da mesa da sala mesmo. Fui me virando como pude. O serviço era tão bom que uma das clientes me presenteou com uma maca. Agradeci o mimo com massagens e design de sobrancelha pra ela! Depois fui atendendo a domicílio e aumentando minha clientela. Ouvi que a praia de Ubatuba, em SP, era um bom local pra trabalhar com estética. Fui atrás de alvará para alugar uma tenda e começar meu negócio caiçara. Meu marido, meu filhinho, na época com 7 anos, e minha filha de 9 meses mudaram comigo. Dormíamos em um colchão inflável no chão e eu atendia das 5h até 0h todo santo dia. Foi com muito suor que fiz uma boa base de clientes na praia.

Consegui pagar as dívidas e investir na carreira

Em um ano de trabalho arrecadei o que precisava pra pagar as dívidas que deixei em Taubaté, cerca de R$ 30 mil. Decidimos voltar pra Taubaté, que é a cidade dos nossos corações. Eu queria mesmo era voltar honrada e trabalhando como esteticista. Voltei atendendo nas escolas, sem frescura: da moça da limpeza, até a professora. No começo fiz o serviço de graça, para mostrar meu talento. Elas gostaram e não deu outra, o boca a boca falou por mim e o negócio cresceu. Finalmente aluguei uma sala para fazer os atendimentos: sobrancelha, depilação corporal, depilação com linha, manicure e pedicure.

Com o tempo decidi dar cursos de depilação com linha, já que gostavam tanto do meu trabalho. Foi um sucesso! Até uma franquia de estética me pediu aulas. Topei por um tempo, mas depois parei de engordar o boi do vizinho e comecei a planejar o crescimento de tudo que eu estava construindo. Deus me prometeu com a palavra de Genesis 15:5 que fala “então o SENHOR conduziu Abrão para fora da tenda e orientou-o: ‘Olha para os céus e conta as estrelas, se é que o podes’. E prometeu: “Será assim a tua posteridade”. Com fé, abri minha primeira loja no dia 05 de dezembro de 2013, no Shopping Taubaté. Minha equipe tinha só três pessoas e eu ganhei novas clientes. Um dia para não esquecer é 15 de abril de 2014, quando consegui a minha primeira franqueada. Foi uma reviravolta completa!

Em 2016 dei início ao meu segundo projeto: a Cuticularia Beryllos. Foi pensada para fazer parte do meu grupo, Sóbrancelhas, somente com a demanda de manicure e pedicure de um jeito diferente. Não queria que fosse mais uma esmalteria comum, então cheguei a um novo sistema de tirar a cutícula sem agredir a pele da cliente. Usamos uma espécie de broca com motor no lugar do alicate tradicional. Ela tira todo o excesso da cutícula, não fica funda e ainda deixa desenhadinha, uma beleza!

Também desenvolvi um kit especial para a cliente, que já está incluso no valor da unha. Ela recebe esmaltes individuais, de 4ml aproximadamente,  lixa e a ponta usada pra tirar a cutícula. Assim, ofereço saúde e segurança para todas. Prezo pelo bom atendimento do cliente, a segurança e a limpeza.

Hoje tenho 187 franquias da Sóbrancelhas em todo o Brasil e recentemente inaugurei minha primeira unidade internacional, na Argentina. Já a Cuticularia, possui três unidades, e está em processo de crescimento. Em 2016 faturei 50 milhões com minha rede de lojas. É muito, eu sei, mas vida boa mesmo só consegui há um ano. Comprei casa própria e viajei bastante. Continuo dando palestras em eventos sobre empreendedorismo e contando a minha história. Uma vida agitada e sem dívidas, tudo que eu sonhava!

Luzia Costa, 36 anos, empresária, Taubaté, SP


Fonte: http://soumaiseu.uol.com.br/noticias/negocio/de-vendedora-de-biscoitos-a-empresaria-de-sucesso-faturo-milhoes.phtml?utm_source=Facebook&utm_medium=post%20facebook&utm_content=post#.WQi8ltryuUn


Compartilhe:

Cadastre-se e receba novidades.